sábado, 2 de julho de 2011

Anuviou

Anuviou aqui dentro
e a sombra das tuas nuvens
esconderam o brilho do sol
que me guia pelas ruas
estorvaram o meu peito
de pequenos e grandes fragmentos
daquelas tuas folhas escritas
esbravejando a nossa loucura
pôs-se perto à lareira
deitou-se no chão gelado
e esperou que houvessem respostas
não houve nada, nem sequer uma gota de lágrima
e se houve algo, digo-te que não sei
o arco-íris até hoje não chegou
e da minha pele só restou o arrepio
do teu lábio grudado no meu.

Um comentário:

  1. assim, bem foda isso tudo, bem....

    do jeito que gosto, poema rasgado.

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença. Seu comentário vai ser lido com muito carinho. Volte sempre!