segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Que o medo que há em mim se transforme em pólvora para que eu possa ao menos colocar fogo em tudo o que te distancia do meu coração.

"Saio da vida para entrar pra história"

Um dia o sinal da escola vai tocar e só vai restar eu. Todos vão seguir sua vida, seguir seus sonhos, seus planos. Eu também vou seguir o meu. Vou estudar, vou me formar, trabalhar, ter minha vida. Vou me apaixonar inúmeras vezes por inúmeras pessoas de diferentes gostos e diferentes rostos. Vou fazer muitos amigos e me desfazer de muitos deles também. Vou chorar e rir ao mesmo tempo. Vou cair e levantar com a cabeça erguida, sempre. Vou correr pra longe de todos ou simplesmente me aproximar mais. Vou me separar da minha família para seguir meus sonhos. Vou perder meu pai, perder minha mãe, assim como eu via eles perdendo os seus. Vou cantar quando estiver com vontade. Vou gritar quando eu estiver irritada ou quando eu precisar de um motivo para tirar essa dor de mim. Vou amadurecer todos os dias, sempre um pouco mais. Vou ver o planeta acabar por consequência do aquecimento global e da poluição que nós, humanos, nos sujeitamos a fazer todos os dias. Vou sentir frio, por dentro e por fora. Como você pode ver, a vida é feita de acontecimentos. As pessoas podem entrar e sair dela num piscar de olhos, mas só alguma delas se tornam especiais o suficiente para serem pra sempre lembradas por todos nós.

sábado, 28 de novembro de 2009

O amor

Mais uma vez eu vim aqui falar de amor. Muitos pensam que o amor é um sentimento estúpido que só faz os outros sofrerem. Alguns tomam a difícil decisão de simplesmente não se apaixonarem, como se eles pudesse mandar em seus corações. Outros amam incondicionalmente, mas conscientes de que irão cair, algum dia. Eu já gostei, já sofri, já chorei, mas sempre fui muito fria em relação a amar. Fria porque eu não sabia o verdadeiro significado da palavra “amar”. Amar é você ficar todo o dia à espera do seu amor; é ficar olhando para o celular para ver se você não vai receber alguma ligação dele; amar é você sentir em todos os lugares o cheiro dele; é sonhar com ele todas as noites; é imaginar a presença dele na sala, no quarto e até mesmo no banheiro; é ouvir uma música, que por mais que a letra seja insignificante, é nele que você pensa; é escutar pelo seu nome várias vezes; é lembrar-se de todos os momentos que já viveram juntos e rir sozinha; é só falar nele, só pensar nele, é fazer de tudo pra ficar com ele; é buscar por ele em todas as pessoas, mesmo sabendo que não irá encontrar.

"Não há paz entre nós dois se não houver paz bem aqui".

Impossibilidades, Fresno.
Quando passará esta tempestade, meu Deus? :/

Vivendo e aprendendo

Eu queria dizer-te da falta que eu sinto de você. Queria fazer-te sentir na pele a fúria que meu coração se encontra. Mas não posso fazer isso e você sabe muito bem o por quê. Por muito tempo eu vivi tentando ser 'perfeita' pra você, mas nunca consegui. Tentei mudar. Tentei em outras pessoas encontrar você, mas sua imagem não saia da minha cabeça. Eu errei com você. Muitos pensam 'fez ele de trouxa', mas as coisas não são assim. Ninguém sabe o que eu sinto, ninguém sabe o que eu penso, ninguém sabe nada. Tudo o que eu queria agora era que você não guardasse mágoas dos meus erros no passado e que tudo voltasse a ser como antes para nós. Só que até hoje eu não consigo esquecer de nada e isso é o que me incomoda. Vejo você bem, mas cada vez mais distante de mim. Não quero que o nosso amor desgaste por mais um erro da parte dos dois. Quero esse amor pra vida toda, porque eu sinto muito mais além disso. Eu só quero aprender a lidar com tudo o que eu estou vivendo. Era isso. Eu sinto a tua falta, meu amor. Sinto muito.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Can't you see?

Tudo o que eu queria saber eu já sei. Todas as dúvidas que estavam estagnadas em minha garganta, prontas para sair para fora - em algum dia desses - já foram respondidas. A príncipio, eu tive um medo enorme de saber a verdade. Toda a vez que eu me lembro sinto calafrios, dor na barriga, dor de cabeça. Eu tento entender mas não consigo. Não é algo que eu deva me decepcionar, mas está aí, está tudo dito, tudo feito. Não há mais nada a fazer. As suas palavras ainda enrolam-se dentro de minha cabeça. Ouço a sua voz. Coloco as minhas mãos em meus ouvidos para não ouvir mais nada do que ali foi dito, mas não adiantou. Bato a cabeça na cama, como se fosse algo tão normal pra mim. Não é insônia. Talvez seja apenas um pesadelo. As músicas entram e saem da minha cabeça num ritmo mais rápido. Não enxergo mais nada. Não ouço mais nada. Só sussurros. O que é isto? Onde estou? O que está acontecendo comigo? Cadê minha mãe? Cadê meu pai? Onde estão todos? Estou tonta. Tudo está embaçado. Alguém me ajude.

Acordara.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Porque sempre me enxergam como alguém que não se importa com nada?
Queria poder enxergar o que se esconde atrás desse olhar que eu tanto amo. Eu ainda não consegui desvendar o seu mistério.

Runaway

Presa dentro de mim mesma, na maioria das vezes o que eu mais quero é fugir de mim. Fugir de todo esse gelo que me esfria cada vez mais. Logo, logo, quando esse coração endurecer e parar de bater, não vai ter ninguém aqui pra você provar que existe.

O que está preso a mim

Quando eu te conheci, percebi que dentro de mim havia acontecido muitas mudanças. Pro lado bom é que eu encontrei um, até então, grande amor. E pro lado ruim, que entre nós havia uma barreira de muros que nos impediam de nos amar incondicionalmente. Pra mim, não tinha coisa melhor. Você simplesmente era a melhor pessoa que eu já conheci em toda a minha vida, e agradeço a Deus todos os dias por te ter ao meu lado. Com o tempo, nos conhecemos melhor. Vivemos em conflitos pelas nossas diferenças, mas nunca, em nenhum momento, deixamos esse amor morrer dentro de nós. Nos separamos por quase 3 meses, e sabe amor, eu nunca pensei que poderia ficar tanto tempo longe de você, mas isso me serviu pra muitas coisas. Eu pensei muito antes de tomar alguma decisão, pensei demais que até preferi deixar o tempo se encarregar de nos unir, algum dia desses. E a gente se encontrou. Olhares de canto pra lá, pra cá, com aquele rostinho desconfiado de ser. Até que nossos olhares se colidaram. Meu coração quase saiu pela boca, tenho que admitir. Eu sentia minhas veias pulsionarem meu sangue com mais força, meus batimentos foram tão fortes que eu chegava a ouvi-los. Você veio falar comigo, mas eu já não escutava mais nada. Foi como se estivesse passando um filme do nosso primeiro encontro, nosso primeiro olhar e primeiro abraço. Você e eu eramos os personagens principais e o nosso romance era o que fazia daquele filme o mais lindo e perfeito de todos. Saimos caminhar, era uma noite de inverno linda com o céu bem estrelado. Sentamos e ficamos observando as estrelas. A minha vontade era de largar todos pra ficar com você, porque aquela era a nossa noite. Era pegar e te dizer ali, em frente aquela igreja, o quão imenso era o meu amor por ti, e o quanto tu eras importante na minha vida. Eu tive vontade de falar, tive mesmo, mas ao mesmo tempo tive medo de você não me querer mais. Mas quando eu percebi que iria te perder pra sempre, quando eu vi seus olhos lacrimejados e sua mão escapando da minha, eu vivi a pior cena da minha vida: o arrependimento. Peguei sua mão e segurei com força junto à minha, te abracei, fazendo assim seu coração encostar junto ao meu. Pude sentir cada batimento seu e isso era o que fazia o meu coração acelerar. Ficamos assim, a noite intira, nos amando como nunca. Portanto, meu amor, eu gostaria de te agradecer por cada segundo que eu vivi contigo e você fez valer a pena. Tudo, todas as histórias, momentos bons ou ruins, cada lembrança que eu tenho sua será guardada dentro de mim, pra sempre. Eu te amo.


E assim se foram os dias e eu sigo sem você ao meu lado.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

"Deixe-me ser aquele quem a chama de amor?"

Smother Me, The Used.
"The love you want
Will make you heart feel cold
You think you got it
But all you've got is a hole
Inside your heart
The truth is there to be told
So try to stop
Stop breaking hearts
Stop hurting souls
And hurt yourself."

Mr. Confusion, Beeshop.



Broken

Você vai largar a minha mão agora? Vai me deixar aos prantos sem saber da tua vida? Vai conseguir ficar longe de mim por muito tempo? Se não, porque me mandastes o 'adeus'? Tem certas palavras que nos ferem como punhais em nossas costas. Onde eu errei? O que eu fiz pra merecer isso? Tudo bem. Eu errei no passado com você, mas o que eu mais queria agora - e tu sabes muito bem disto - é poder ficar em paz contigo. Eu sangraria agora só pra poder te dizer o que eu sinto, mesmo que as palavras me faltassem, eu sei que você iria me escutar.

Untitled.jpg

E hoje eu fico só. Dentro de mim, um fucarão de palavras e pensamentos soltos em meio a tanto gelo. Fora, alguém transparente, como se estivesse no 'piloto automático' para fazer tudo o que eu faço. Ainda hoje a tua voz perfura meus tímpanos me dizendo tudo o que alguém sempre quis ouvir. Ah, belas palavras você disse. Mas eu estou aqui. Eu estou sozinha mas com um monte de gente rodeada em mim. Estou sozinha mas eu não estou só. Eu queria estar presa a outro lugar que não seja aqui, dentro de mim. Eu queria poder olhar alto, olhar pro mundo. Eu queria te dar o meu melhor, te dar a felicidade que sempre desejou, queria te dar muito mais do que apenas o meu amor. Queria poder pegar na tua mão e te levar para algum lugar onde só exista eu e você. Mas eu não posso. Da mesma forma que não posso largar tudo pra ficar com você. Não agora. Não posso deixar de viver a minha vida aqui para ficar presa a tua vida que esta aí, do outro lado do mundo. Ah, você nem sabe o quanto eu queria te fazer entender o que acontece comigo aqui.

Me espera? Me espera construir a minha vida, que eu largaria tudo pra ter você.

Tudo vai acabar bem

Sabe... Às vezes a saudade sufoca tanto que a gente acaba ficando sem saber o que fazer, como agir. Seria tão fácil se as pessoas não fossem bloqueadas de se apaixonarem por quem quiserem. E principalmente, se a distância não existisse. Tem certos momentos que eu me deparo com você, à beira da solidão, das lágrimas, e eu não posso fazer nada. Eu não posso te tocar, eu não posso te abraçar, eu não posso nem ao menos te sentir. Tudo o que eu posso fazer é ficar 24 horas por dia na frente de um computador à sua espera. Pode demorar minutos, horas, dias..., mas eu sempre vou estar aqui por você. Eu sei que você, nesse exato momento, está pensando em mim, em nós, e certamente, nas coisas que fizeram a gente se afastar. Mas, saiba que tudo o que eu quero é não ter motivos pra gente brigar. Não quero viver o nosso romance me bloqueando de estar com meus amigos por medo de te magoar. Ontem eu ouvi as piores palavras do mundo. Palavras que eu nunca esperei ouvir de alguém como você. Mas, a vida é assim, amigo. A gente sempre se surpreende com qualquer um. Eu vou estar aqui, meu amor. Bem aqui, no nosso mundo distante de todos.
"Hoje eu falo de silêncio. Eu, que amo as palavras, hoje fico nos espaços brancos e nas entrelinhas. Fico ausente, estou ausente embora de longe siga pelo milagre da tecnologia tudo o que acontece onde me lêem neste instante.

Ausente-presente como tantas vezes tantas pessoas.

Nas histórias que relato ou invento, hoje não me interessam tanto as tramas e os personagens: somos todos sombras que andam de um lado para outro, aparecem e desaparecem em quartos, corredores, jardins. Caem de escadas, jogam-se no poço, naufragam como rostos ou ratos.

A mim seduzem palavras e silêncios, e jeitos de olhar. O formato de uma boca melancólica, ou o baixar de uma pálpebra que esconde o desejo de morrer ou de matar, ódio ou desamparo, hipocrisia, ah, o olhar sorrateiro, o estrábico olhar dos mentirosos.

A mim interessam as coisas que normalmente ninguém valoriza. Porque o real está no escondido. Por isso escrevo: para esconjurar o avesso das coisas e da vida, de onde nos vem o medo, que impulsiona como a esperança.

Nas relações amorosas, sou fascinada pela fração de segundo, o lapso mínimo em que os olhares se desencontram e a palavra que podia ter sido pronunciada se recolhe por pusilanimidade, egoísmo ou autocompaixão. E a cumplicidade se rompe e a gente se sente sozinha.

O caminho do desencontro é ladrilhado de silêncios, quando se devia falar, e de palavras quando o melhor teria sido ficar calado: e a gente sabia, ah, sim, sabia. Pior: é ladrilhado de gestos que não foram feitos quando o outro tanto precisava.

E no silêncio o peso da omissão, cumplicidade com o erro, se agiganta."

Lya Luft.
"Ando cansada de frases, mas elas
são a arma que me resta, a ferramenta
com que nasci, o recurso que o destino
colocou a meu dispor, mesmo quando
as emoções se cansam."

Lya Luft.

E assim será.

Que do amor que eu sinto, nunca brotem mágoas. E se assim for, que não ameacem esse amor. E se ameaçarem, que a dor não venha selvagem ou feroz. Que não se torne nosso algoz. Que mesmo transbordando através das lágrimas que rolam das meninas ansiosas dos nossos olhos, não se esparrame mais do que o necessário. Que me respeite mesmo fazendo sombras as suas sombras e que a mim não mate para que não se constate o benefício do repouso para essa minha alma, que é tão sua. Que a minha saudade não ameace a calma ou o nosso direito de ir e vir; que consiga transcender e transgredir. Agradar sem agredir! Espantar e apontar; mas nunca desapontar. Que ela chame a sua atenção, despontando de repente, numa disritmia crescente, na mais completa contradição de emoções e de paixão. Que ela fale por adjetivos e que se tinja das cores mais gritantes. Que faça com que minha paz se sobressaia, colorida e traduzida, em tons pastéis. E que essa paz saiba ser mansa e brilhar feito o crepúsculo em final de tarde de outono. Que flutue no silêncio das horas, que passam por mim agora, sem pressa alguma. Que a minha alegria seja sonora e barulhenta. Daquela que acalenta, caçoando e abusando dos risos. Que faça barulho e que se disfarce de festa. Que acredite ser (e que seja) eterna. Que cante, dance assim, sem resistências. Agora, quanto ao amor...Quanto a esse amor que cresceu tão perfeito dentro do meu peito, que eu não permita que ele se cale! Que eu consiga que ele me proteja; que me convença e que não se exale. Que essa distância não nos abale e que ele seja exato e justo. Digno e merecedor. E como eu espero, antes, durante e depois... Pra nós dois, que ele sobreviva absolutamente sincero.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

O meu reino por um abraço

"Trocava tudo hoje por um abraço. Por uns braços quentes que me acolhessem e sobretudo me segurassem. Ando com demasiado medo de cair. Quando cresces, percebes isto. Que tens de te abraçar. Que ninguém tem a obrigação de te agarrar ou de te segurar quando insistes em bambolear-te na corda bamba. Quando cresces, continuas a ter medo do escuro. O desconhecido continua a assustar-te e tu continuas cheia de medo de dar o passo em frente. Quando cresces, verificas que há muitas pessoas no mundo e ainda assim te sentes sozinho. Quando cresces, por vezes, trocas tudo pelo calor do outro corpo. Iludes-te e pensas que do nada alguma coisa pode nascer. Que alimentar essa esperança é amor. Que viver assim te vai fazer feliz. Ou menos sozinha. Digo-te eu que não. Quando cresceres vais ter que te abraçar muitas vezes. E aqueceres o teu corpo única e exclusivamente com a água a escaldar do duche. Pele vermelha. Ferida em fogo. Lento e para sempre. Hoje eu trocava tudo por um abraço. Uns braços que me segurassem."

Lya Luft.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

"Um anjo vem todas as noites:
senta-se ao pé de mim, e passa
sobre meu coração a asa mansa,
como se fosse meu melhor amigo.
Esse fantasma que chega e me abraça
(asas cobrindo a ferida do flanco)
é todo o amor que resta
entre ti e mim, e está comigo."

Lya Luft.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

"eu vou voltar pro meu lugar
eu vou viver no meu lugar
mas isso não tem sentido
se você não vem comigo."

Muito Além do Sofá, Esteban.

E eu deixo tudo pra você

"Desculpe dizer mais não tenho escolha. Tentei tantas vezes seguir você, pois cada vez que eu te encontro, eu me perco mais. entei respirar, encontrar a saída, mas sonhos não são feitos pra viver. Te ver como eu sempre te vejo vai me cegar, talvez em outros dias eu quisesse te escutar. E se eu não te chamar quando não puder mais chamar por mim? Quando ver que o por vir já passou, que o poema já não pode mudar. Pensei em mudar e mudar minha vida mas planos são todos feitos pra esquecer. Eu te vejo e mudo o canal. Não pense que vai apagar da memória, são coisas que eles não vão saber. Eu sei muito mais que os outros sobre você, talvez em outros dias tu quisesse me escutar."

Esteban.